Kendrick Lamar chega ao Lollapalooza Brasil sendo o maior rapper da atualidade

Compartilhar no facebook
Compartilhar no email
Compartilhar no twitter

Não tem uma fórmula certeira para se fazer um grande rapper, mas ter suas bases formadas em Compton, Califórnia, ajuda muito. De lá vieram os maiores MCs do mundo, assim como Kendrick Lamar, que aos 32 anos já ostenta o respeito necessário para ser considerados uma das vozes de sua geração.

Mas se engana quem imagina que sua carreira começou há pouco tempo (ou pelo menos em 2012, mas a gente vai chegar lá). No início dos anos 2000, aos 16 anos, era como K-Dot que ele assinava seus sons e mixtapes, apenas iniciando a sua trilha no hip hop que mais tarde o levaria a integrar o grupo Black Hippy, já como Kendrick Lamar, formado pelos até então desconhecidos Ab-Soul, Jay Rock e Schoolboy Q. Sorte de quem viu e ouviu esses garotos por volta de 2009, pois a partir deste ponto de partida eles nunca mais foram anônimos.

Em 2010 a mixtape Overly Dedicated foi seu primeiro trabalho completo assinado como Kendrick Lamar, e responsável por colocar seu nome no mapa e dar visibilidade ao seu primeiro álbum, o independente Section.80, de 2011. Dele você deve se lembrar do hit “HiiiPoWer”.

O ano é 2012, e depois de meses dando indícios de que viria um grande álbum pela frente. Kendrick solta Good Kid, M.A.A.D City, e foi este disco que virou o jogo para Lamar. “Swimming Pools (Drank) e “Bitch, Don’t Kill My vibe” foram os grandes hits do disco que o trouxe sete indicações ao Grammy.

a rabeira deste sucesso, em março de 2015 veio To Pimp a Butterfly. Aclamado pela crítica, o disco alcançou o nº1 em vários países, e agora sim, trouxe a Kendrick o Grammy de Melhor Álbum de Rap. Incansável, ainda lançou o compilado Untitled Unmastered, que alcançou o primeiro lugar nos EUA e Canadá.

A essa altura Kendrick Lamar já era o cara, e sentava ao lado dos maiores rappers do mundo, e para coroar ainda mais esse sucesso, em 2017 veio DAMN., e com ele a confirmação de que Kendrick faz parte da história do hip-hop. “HUMBLE.” se tornou um clássico instantâneo, assim como todo o disco, em especial em faixas como “DNA.”, “LOVE.” e “LOYALTY.”.

Com DAMN. veio também o segundo Grammy de Kendrick, e falando em prêmios para esse álbum, precisamos destacar o Pulitzer de Música, quando Lamar conseguiu fazer história ao ser o primeiro artista de música popular a ser escolhido (até então, só música clássica ou jazz haviam sido premiados).

Precisamos contar algo mais pra mostrar que Kendrick Lamar precisava estar no #LollaBR e que a sorte é toda nossa?

Fonte: lollapalooza.com.br

Deixe um comentário